Estudo mostra que o principal motivo para acordar, com 62% das ocorrências, está vinculado à alimentação da criança

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Os novos pais perdem até 44 dias de sono durante o primeiro ano de seus filhos, indica pesquisa realizada no Reino Unido pela fabricante de colchões Ergoflex e publicada no jornal Daily Mail. O número significa seis semanas a menos de sono no período dedicado a cuidar de recém-nascidos.

 

De acordo com o levantamento, os pais dormem apenas 5,1 horas por noite, ou seja, um déficit de 2,9 horas de período recomendado pelas entidades de saúde, o que equivale a 20,3 horas por semana, totalizando 1.055,6 horas no primeiro ano da criança.

 

O principal motivo, com 62% das ocorrências, está vinculado à alimentação do bebê. Em seguida, vem o choro e a vigília do filho, com 57%; preocupação com a segurança do recém-nascido aparece com 45%; insônia e problemas para dormir somam 34%; e 27% disseram que usam as horas em que a criança dorme para realizar outras tarefas.

 

A pesquisa, que foi realizada com 1,8 mil pais para mensurar os hábitos de sono dos britânicos, também perguntou aos casais quantas vezes eles são despertados pelo ronco ou hábitos de seus parceiros na cama: em média, mais do que duas vezes por semana.

 

O estudo mostrou ainda que os entrevistados dormem 2.847 horas por ano, o que significa 118 dias completos. Isso significa uma média de 26 anos em toda a vida.

 

fonte: Terra