Dois prisioneiros, Mikhail Gallatinov, 40, e Marc Goodwin, 31, foram o primeiro casal do mesmo sexo a se casar dentro da prisão na Inglaterra. Mas o mais irnônico dessa história é que ambos foram condenados por matar homossexuais.

Você não entendeu errado, os dois foram presos por crimes com motivos homofóbicos, e agora são gays tão assumidos que são casados. Isso da ainda mais força para as pessoas que dizem que “homofóbicos na verdade são gays que não querem sair do armário e por isso discriminam aqueles que tem coragem”, mas claro que também tem quem use a expressão “quem não tem cão caça com gato”. Não importa qual linha de pensamento você siga, temos que assumir que o acontecimento é no minimo irônico.

Segundo informações do diário inglês Metro, Goodwin foi condenado à prisão perpetua pela morte de Malcolm Benfold, de 57 anos, em Blackpool, em 2007.

Já Gallatinov, foi acusado de assassinar Adrian Kaminsky, 28, na cidade de Manchester, em 1997. Ele pegou 20 anos de prisão.

Os dois, que afirmaram ser “são almas gêmeas” e que querem “ficar juntos para sempre”, celebraram a união em uma cerimônia que durou 15 minutos e apenas quatro familiares puderam participar.

“Nós sempre deixamos muito claro que se dois prisioneiros querem se casar, os contribuintes não devem arcar com os custos da cerimônia e o casal certamente não será autorizado a dividir a mesma cela”, disse um porta-voz da prisão.

Isso mesmo, lua de mel não vai rolar, e vão continuar morando em “apartamentos” separados no mesmo condomínio, casamento moderno é isso ai.

 

Falando nisso…

 

fonte: Virgula