Namoros entre celebridades são sinônimo de papparazzis cobrindo cada passo que o casal dá. Alguns relacionamentos do mundo pop ficaram marcados para história, mesmo depois de chegarem a um trágico fim. E outros, mesmo entre tapas e beijos, continuam aí para a gente acompanhar, rezando para que dê certo (ou não). Confira cinco casais da música que são exemplos de relacionamentos problemáticos.Lindsay Lohan e Samantha Ronson

Em maio de 2007, quando Lindsay Lohan bateu sua Mercedes-Benz em Beverly Hills e a polícia encontrou uma “pequena” quantidade de cocaína no carro, o blogueiro Perez Hilton insinuou que a droga pertencia à DJ Samantha Ronson, amiga de Lindsay, e começou a vender camisetas com a frase “a culpa é da Samantha”.

Depois de passar cinco meses na reabilitação tentando organizar sua vida, Lindsay foi morar num hotel de luxo em Los Angeles, procurando manter distância da vida noturna. Porém, não demorou muito para a atenção da mídia se voltar novamente para seu relacionamento com Samantha, incluindo os jornais The Times e Los Angeles Times, que afirmavam que as duas estavam namorando.

Depois de muita pressão, Lindsay assumiu numa entrevista a um programa de rádio que sim, as duas já estavam juntas há algum tempo. Mas como nem tudo são flores na vida de Lindsay, muitas discotecagens juntas e barracos depois, Samantha cansou de ser perseguida pelos papparazzi por causa de seu relacionamento e o namoro chegou ao fim. Quem ficou feliz com isso foi a mãe de Samantha, a socialite Ann Dexter-Jones, que já havia declarado que Lindsay apresentava um comportamento psicótico.

Whitney Houston e Bobby Brown

Foi quando Whitney Houston e Bobby Brown se casaram, em 1992, que a carreira de Bobby se encontrava em decadência e a de Whitney ainda crescente; na época em que ela passou a levar seu trabalho para o cinema.

Os dois estavam marcados pelas prisões por porte de drogas, brigas e vários outros escândalos. Nesse momento, a imagem que o casal carregava começou a aparecer cada vez mais na mídia e os boatos sobre a péssima saúde da cantora surgiram, como fotografias que foram divulgadas há uns anos, que apontavam o dedo e só confirmavam o que as más línguas andavam dizendo.

Há quem afirme – o biógrafo da Whitney Houston, Mark Bego – que não foi Bobby quem a introduziu às drogas, mas certamente esteve ao seu lado o tempo todo, “na saúde e na doença”. Bego ainda afirma que o marido foi o principal responsável pelo vício dela. A mãe de Whitney (Cissy Houston), em entrevista, afirmou que não mantém contato com o músico e não vê razão para manter. E ainda pergunta: “Você gostaria se ele tivesse alguma relação com a sua filha?”

Durante um show, na Louisiana: “- Primeiro de tudo, eu gostaria de dizer que amo todos vocês. E segundo: eu te amo, Whitney. A coisa mais difícil para mim é subir agora neste palco”, disse Bobby Brown, com aparente emoção, horas após ter sido informado da morte da ex-mulher. A cantora morreu no dia 11 de Fevereiro de 2012, em um hotel em Beverly Hills, vítima de uma overdose de entorpecentes, medicamentos e álcool.

Amy Winehouse e Blake Fielder

“Se ele fala alguma coisa que eu não gosto, eu soco a cara dele” – poderia ser uma declaração de ódio entre dois grandes inimigos, mas foi o que Amy Winehouse disse sobre seu então marido, Blake Fielder.

Fotos dos dois ensanguentados e com hematomas, porém de mãos dadas, não são raras. E foi assim, entre tapas e beijos, que os dois viveram até os últimos dias da cantora, que levava o nome de Blake numa tatuagem em seu peito. Segundo a família de Amy, foi Blake que a apresentou ao crack e à heroína. Juntos, os dois se cortavam para amenizar os efeitos da abstinência.

Dentre as idas e vindas do amor, Amy chegou a se relacionar com Pete Doherty (outra ótima companhia, só que não) e com o ator Josh Bowman, por quem declarou estar apaixonada e não precisar de drogas para ser feliz ao lado. Mas no fundo, tudo o que Amy queria era que Blake não se separasse dela e que fossem morar juntos em sua nova casa. Não deu. O divórcio – com acusação de adultério – saiu em janeiro de 2009.

Dois anos depois, quando Amy faleceu, Blake estava preso e foi liberado para comparecer ao velório de sua ex-mulher. Na ocasião, desabafou: “Todos que me conhecem sabem quão profundo era meu amor por Amy. Não acredito que ela esteja morta. Nunca mais sentirei por alguém o que eu sentia por ela”.

Rihanna e Chris Brown

Ordens de restrição, condenações de prisão, trabalhos comunitários e algumas dores de cabeça a mais foram o preço que Chris Brown teve de pagar devido ao seu turbulento relacionamento com a cantora Rihanna.

Ambos já chegaram a trocar insinuações de traições pelas redes sociais; já terminaram, voltaram, terminaram e voltaram de novo. Até que o cantor exagerou de vez: foi indiciado por agressões e violência doméstica contra Rihanna – um crime hediondo nos EUA.

Foi em 2009, em Los Angeles, quando Chris Brown literalmente virou bicho e, durante uma discussão após uma festa, ele mordeu, bateu e tentou asfixiar a cantora. Depois, ele tentou empurrá-la para fora do carro alugado em que eles estavam, após ter feito algumas ameaças de morte a ela. Na época, até estava rodando pela internet imagens do rosto de Rihanna depois da agressão, com ferimentos visíveis.

Na polícia, o músico se declarou culpado e pagou a fiança de US$50 mil. Desde então, está sob liberdade condicional, teve que frequentar um programa sobre violência doméstica e realizar trabalhos comunitários. Atualmente, parece que ele anunciou de novo o fim do namoro com RiRi e está morando com a modelo Karrueche Tran.

Katy Perry e Russell Brand

Katy e Russell se conheceram em 2009, durante as gravações de ‘O Pior Trabalho Do Mundo’, filme no qual a cantora fez uma participação especial que acabou não indo para a versão final. No mesmo ano, Katy saiu sem nenhum troféu do VMA que Russell apresentou.

Ambos estavam hospedados no mesmo hotel em Nova Iorque e, segundo Russell, quem acabou sendo o vencedor naquela noite foi ele, pois Katy precisou de um “ombro para chorar”.

Em outubro de 2010, os dois se casaram em uma cerimônia tradicional hindu (Russell começou a se interessar pela cultura indiana quando passou pela reabilitação), mas a união durou apenas 14 meses e chegou ao fim às vésperas do Réveillon. O motivo da separação foram as opiniões divergentes entre o casal em diversos aspectos.

Numa entrevista recente, Russell se declarou viciado em sexo, o que em alguns momentos o leva a ter um comportamento egoísta que acaba prejudicando o relacionamento, apesar de ter gostado muito da experiência de ser um homem comprometido e nunca ter traído Katy.

 

fonte: MTV